User Tools

Site Tools


Sidebar

Olá! Esta é a wiki onde vamos anotando e organizando as nossas ideias, projectos e planos.

O registo está fechado por causa do spam. Para criar conta escreve-nos para bomdia [AT] transparenciahackday.org

Wiki

2016-03

OPEN DATA DAY 2016 PORTUGAL! http://piratepad.be/p/oddporto

English as she is spoke

Páginas em curso: 15 144 23 17 164 18 70 106 40 165 166 101 167170 71 168178107 169 22, 24

Páginas finalizadas: 16 17 19 209495,96

Se alguém conseguir meter isto na pagina 166 eu agradecia (página bloqueada, nem por um proxy funciona): Done GJ, ty Pus o texto da página 170 no mesmo pad. Também não consigo atualizar… Se der para pôr fiiiixe senão logo atualizo :D http://piratepad.be/p/166

Wikisource: https://wikisource.org/wiki/Index:O_N ovo_Guia_da_Conversa%C3%A7%C3%A3o,_em_Portuguez_e_Inglez,_em_duas_partes.djvu Wikipedia: https://pt.wikipedia.org/wiki/English_As_She_Is_Spoke

Estrutura das tabelas:

  • {| ←- start table
  • |-
  • ! Table Header 1
  • ! Table Header 2
  • |- ←- start new row
  • | Row 1, Column 1
  • | Row 1, Column 2
  • |- ←- start new row
  • | Row 2, Column 1
  • | Row 2, Column 2
  • |-
  • |} ←- close table

Format:

  • ITALIC
  • ' BOLD '

colocar números de página no cabeçalho:

Notas de percurso Coloca aqui as notas e avisos para outros - quando uma palavra é separada devido a uma quebra a linha no livro original, fazemos o mesmo na edição? Minha solução: não fazer a quebra. +1para o país de Gales :D -juntar palavras na transcripção -p40, pedras preciosas, inglês de Camaphèu?

Caracteres indecifráveis e páginas com erros ou ambiguidades

  • 1ª linha, coluna direita, p 108 (“melhóF”)

Plano de almoço Vamos almoçar ao Café Progresso, mas precisamos antes de lhes indicar os pratos! Coloca o teu nome a seguir ao prato que queres até às 11:30! Quem comeu mousse? Põe aqui o nome :P

Melhor OCR: Otieen. –> Queen

Sessão da tarde (notas)

Open definition: http://opendefinition.org/ Dados abertos e conteúdos abertos podem ser livremente utilizados, modificados e partilhados por qualquer pessoa, para qualquer uso.

AMA / Dados.Gov - André Lapa A instituição que pretende tornar o contacto entre os cidadãos e o estado mais simples.

Problemas:

  • legislação portuguesa que torne efectiva a directiva europeia PSI
  • falta de recursos financeiros
  • administração em silos
  • falta de manutenção da qualidade dos dados

- A figura do Chief Data Officer (implementada em França) para reforçar a libertação de datasets. - Mapeamentos das bases de dados em Portugal, para criar uma espécie de cadastro das instituições, e saber quem liberta datasets e quem ainda precisa de o fazer

Objectivos para o novo portal Dados.Gov 2.0:

  • construído em código aberto (como por exemplo, o CKAN)
  • interoperabilidade com plataformas de instituições nacionais e europeias
  • dados abertos: dados tabulares
  • linked data; web semântica

Portais em preparação, no campo do Open Data: - portal da Saude (já lançado) - Justiça; CM Lisboa e CM Porto em preparação


Licenças Abertas - Teresa Nobre

O direito de autor protege a criação. Por exemplo, os dados publicados na forma de um gráfico/infografia: o direito de autor protege a forma de apresentação, não os dados (conteúdos), caso estes sejam livres Compilações: os elementos compilados estão protegidos por direito de autor; mas a própria compilação pode ser protegida por direito de autor Um dataset apresentado numa determinada forma gráfica (especialmente no caso de uma apresentação que vai para além de uma forma standard) significa que a apresentação está protegida por direito de autor; por outro lado, o conteúdo em si, não está protegido por direito de autor.


Quero usar conteúdos disponíveis num gráfico. Posso? Direito Sui Generis de acesso à base de dados, legislação europeia criada para proteger os interesses dos produtores de bases de dados. Direito de exclusividade ao produtor da base de dados, que impede outros de extrair uma parte substancial da base de dados sem aprovação do produtor, com excepção para usos educativos. Por outro lado, podemos extrair 'partes não substanciais', em dias diferentes? Não… Existem determinados critérios que definem quais bases de dados podem estar protegidas sob este 'direito sui generis'. Na perspectiva de um utilizador é impossivel perceber quais bases de dados podem estar abrangidas por este direito (só indo para tribunal). E se fossemos várias pessoas diferentes, a ir buscar partes nao substanciais de uma base de dados? Não… só se garantirem que as diferentes partes de dados recolhidos não comunicam entre si.


Dados.Gov tem os dados sob licença CC By-SA Partilha de ficheiros vs Compartilhamento de arquivos: adaptação das licenças a cada país cria uma série de questões, ligadas aos termos e à sua definição/significado na legislação dos diferentes países


Licenças CC0: prendas ao domínio público; renúncia ao direito de autor. Incompatibilidade de algumas licenças CC com Dados Abertos (por exemplo, licenças Non-Commercial)

Q&A

(André L.) Fair Use é diferente nos EUA e Europa? Sem permissão não posso usar, a não ser no caso de algumas excepções e limitações – ensino, situações de audiovisual, bibliotecas, … Na Europa existe uma lista de 27 excepções mas que, ainda assim, não são reconhecidas integralmente em todos os países. A lista de excepções e limitações na Europa visa proteger os interesses privados (do autor) e os interesses públicos. Nos EUA existe a cláusula de Fair Use, ou seja, uma excepção que não está prevista na lei mas que pode ser invocada no caso de um uso que não está contemplado na lei mas que reconhecemos que faz sentido. Esta cláusula permite maior flexibilidade (porque a legislação demora muito tempo a mudar); potência desenvolvimento e inovação. Em Portugal a lei não impede o uso de uma parte de uma obra num trabalho que pretende criar discurso, discussão… sobre a obra original, desde que não se coloque em causa as intenções(?) do autor original.

(Alexandre) Os direitos morais; direito a retirar obra publicada: Se o autor original retirar dados inicialmente publicados com uma licença permissiva Creative Commons outros usos desses mesmo dados tem de ser retirados também? A licença CC protege o direito moral a retirar trabalhos de circulação. Apesar desse direito existir não é possível garantir uma retirada total da obra/trabalho. Exemplo, livro de Herberto Hélder que foi retirada de circulação antes do livro ser posto à venda. Apesar disso os livros que já tinham sido vendidos/oferecidos não podem ser retirados. O autor não pode retirar uma obra de circulação sem motivos. Tem de existir um motivo forte, justificável perante tribunal. E se fosse um dataset publicado no Dados.Gov, com CC, usado pelo Hackday? Só com um motivo muito forte. Caso contrário, o uso dado ao dataset retirado, pelo Hackday, poderia continuar a existir. Por exemplo, no caso de dados que infrijam privacidade entramos num nível diferente. Dados privados tem legislação específica, distinta da legislação que protege direitos de autor.

(Luís) Que contributos podemos dar para o projecto da AMA na Universidade do Minho?

(Ricardo) Como podemos explicar, de uma forma simples, a outras pessoas (ou instituições) a importância da partilha de dados públicos? Qual é a vossa experiência? Teresa: Com os Museus é fácil desmontar os argumentos que dão para não publicar informação. É fácil desmontar o argumento ao pessoas/entidades que não são criadoras/autoras, como os Museus, que são meros recipientes/arquivos de trabalhos de outros; não detêm o direito de autor sob as obras. Explicar que a lista de limitações e excepções é muito limitada; explicar a falta de atualidade do direito de autor e as restrições que existem. Dependendo do público a quem queremos explicar temos de adaptar o discurso. Talvez dar exemplos de usos que a partilha irá potenciar. Os dados abertos são um caso muito específico porque implicam a disponibilização de tudo (não pode ser apenas uma parte).

André: Argumento cívico e de transparência. Dados públicos precisam de estar disponíveis, é um direito que os cidadãos tem. Muitas vezes as insituições não sabem os dados que têm, ou a importância que a partilha desses dados pode ter. É preciso ajudar as instituições a perceber qual a informação que elas tem e qual o interesse da partilha desses dados. Factor humano: contactar as instituições e explicar para que pretendemos usar os dados. Com exemplos concretos é mais fácil do que com o exemplo abstrato, do ativista.

https://en.wikipedia.org/wiki/Open_data#Arguments_for_and_against_open_data

aparte: rastrear os trabalhos com licenças permissivas http://commonsmachinery.se/


Post para revisão: http://piratepad.be/p/oddportopost

2016-03.txt · Last modified: 2017/03/07 16:41 by rlafuente